26 . Mai . 2017

Ex-vereador de João Pessoa, Renato Martins, é expulso do PSB

Em: POLÍTICA
Ex-vereador de João Pessoa, Renato Martins, é expulso do PSB

Ex-vereador de João Pessoa, Renato Martins, é expulso do PSB

Em decisão unânime, PSB desfilia ex-vereador Renato Martins dos quadros do partidoEm decisão unânime, PSB desfilia ex-vereador Renato Martins dos quadros do partido
O ex-vereador Renato Martins foi desfiliado dos quadros do PSB. É o que informou o presidente do diretório municipal do partido em João Pessoa, Ronaldo Barbosa, nesta sexta-feira (26).
 
De acordo com Barbosa, a decisão da retirada do ex-vereador da sigla foi unânime entre os filiados. Ele ainda acrescentou que Renato teria feito sua escolha no momento em que aceitou assumir um cargo no gabinete do senador Cássio Cunha Lima (PSDB).
 
A desfiliação do ex-vereador já vinha sendo defendida pela cúpula do PSB na Paraíba e o martelo foi batido durante reunião do partido realizada na última terça-feira (23).
 
 
ENTENDA
 
Ex-aliado do governador Ricardo Coutinho (PSB), o ex-vereador de João Pessoa pelo PSB, Renato Martins, foi nomeado para o gabinete do senador Cássio Cunha Lima (PSDB). Conforme portaria publicada em Diário Oficial, Martins vai atuar como auxiliar parlamentar júnior.
 
 
Durante muito tempo, Renato que é suplente de vereador, foi aliado do governador Ricardo Coutinho, tendo recebido apoio da família do governador em suas campanhas eleitorais. Ele também foi ferrenho adversário de Cássio.
 
 
Ao perder as eleições do ano passado e não conseguir retornar à Câmara Municipal de João Pessoa, Martins denunciou um suposto esquema no Governo do Estado que teria beneficiado vereadores eleitos pelo PSB.
 
 
De acordo com o parlamentar, os socialistas Léo Bezerra, Tibério Limeira e Tanilson Soares, teriam contado com a ajuda da deputada Estela Bezerra (PSB), da secretária da Administração do Estado Livânia Farias e do diretor-presidente da Codata (Companha de Processamento de Dados da Paraíba), Krol Janio.
 
 
 
 
 
 
 
26 . Mai . 2017

Após embolsar quase R$ 1 mi de verba indenizatória, Tovar e Bruno agem para desemprego de pais de famílias

Em: POLÍTICA
Após embolsar quase R$ 1 mi de verba indenizatória, Tovar e Bruno agem para desemprego de pais de famílias

Após embolsar quase R$ 1 mi de verba indenizatória, Tovar e Bruno agem para desemprego de pais de famílias

Beneficiários de uma verba indenizatória que já chega a quase R$ 1 milhão/cada nos últimos três anos, os deputados estaduais Tovar Correia Lima e Bruno Cunha Lima, ambos do PSDB, agem para que pais e mães de família percam o único salário mínimo que recebem por produtividade de serviço prestado junto ao Governo do Estado.
 
Isso acontece, mesmo com muitos desses codificados, contestados pelos tucanos, tendo neste vínculo a única fonte de renda para suprir as necessidades do dia a dia, como alimentação e moradia.
 
Nesta sexta-feira (26), o próprio presidente do Tribunal de Contas, André Carlo Torres, em entrevista à CBN de João Pessoa, disse que não se pode retirar abruptamente essas pessoas do serviço público, visto que elas são essenciais para o funcionamento do Estado, sobretudo na área da saúde.
 
Por outro lado, para um deputado estadual, perder um salário mínimo não remete tanto impacto, já que a quantia significa praticamente apenas um dia de trabalho no mês.
 
Além da gorda remuneração, que beira a R$ 30 mil/mensais, os parlamentares paraibanos também são contemplados com uma diversidade de verbas para ajudar na atuação parlamentar, ou seja, uma realidade bem distante daqueles que veem no vínculo com o Estado uma maneira de, além de sobreviver, contribuir com o serviço público e com a coletividade.
 
Tovar chegou a ALPB em 2014, após uma campanha eleitoral com direito até a prisão pela Polícia Federal. O tucano, dois homens e um adolescente foram acusados de comprar votos, mas foram liberados à época após o pagamento de uma fiança no valor de R$ 30 mil.
 
Com pbagora.com.br
26 . Mai . 2017

Mais uma unidade: governador Ricardo Coutinho entrega Cidade Madura em Guarabira

Em: POLÍTICA
Mais uma unidade: governador Ricardo Coutinho entrega Cidade Madura em Guarabira

Mais uma unidade: governador Ricardo Coutinho entrega Cidade Madura em Guarabira

O governador Ricardo Coutinho entrega, neste sábado (27), às 10h, a quarta unidade do Condomínio Cidade Madura, no município de Guarabira, na região do Brejo paraibano. O espaço terá uma inovação: vai funcionar com energia solar (casas e áreas comuns).
 
O Programa Cidade Madura é gerido pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (SEDH) que, através de equipe técnica, monitora e avalia o funcionamento dos condomínios. O projeto tem como objetivo proporcionar moradia digna para pessoas idosas, que residam sozinhas ou com seus companheiros. A SEDH conta com a parceria da Companhia Estadual de Habitação Popular (Cehap), órgão do governo estadual responsável por licitar e fiscalizar a construção dos condomínios.
 
Para a secretária de Estado do Desenvolvimento Humano, Aparecida Ramos, “o Cidade Madura é mais um dos Programas do Governo que demonstra sensibilidade, e a maneira diferente de fazer política na Paraíba. É um Programa que trata o idoso com dignidade, proporcionando que ele desenvolva sua autonomia”, afirmou Cida Ramos.
 
O Cidade Madura de Guarabira, a exemplo dos demais, possui 40 unidades habitacionais horizontais, com cerca de 54 m² de área construída, composta de: varanda, sala, cozinha, banheiro, um dormitório e área de serviço. Todas as residências seguem as normas de acessibilidade para idosos e com guarita de segurança na entrada do residencial. Dispõe também de áreas de convivências comuns como: redário, espaço para prática de exercícios, além de área para cultivo de horta comunitária. Há também um núcleo de saúde, com profissional de enfermagem trabalhando em regime de plantão, além de sala de curativos, enfermaria e repouso para plantonistas.
 
25 . Mai . 2017

Jeová defende Buba Germano para disputar o governo do estado. "O nome dele é forte"

Em: POLÍTICA
Jeová defende Buba Germano para disputar o governo do estado.

Jeová defende Buba Germano para disputar o governo do estado. "O nome dele é forte"

O deputado estadual socialista Jeová Campos defendeu no programa Fala Paraíba, da Rádio Tabajara, desta quinta-feira, o nome do secretário do Desenvolvimento e Articulação Muninicipal, Buba Germano (PSB), a governador da Paraíba nas eleições do próximo ano. "O nome de Buba é muito forte", disse o parlamentar, endossando o nome do secretário.
 
O deputado citou a excelente gestão que o governo Ricardo Coutinho vem fazendo na Paraíba como credêncial para a manutenção do projeto do PSB no Estado. "As ações de Ricardo credência os nome por ele apresentados. Teremos, por exemplo, o apoio de 24 deputados estaduais, no minimo", completou Jeová Campos. 
 
Ainda em relação ao nome de Buba, o parlamentar disse que a experiencia do secretário como prefeito, como presidente da Famup, a sua defesa em prol dos municipios, conhecedor de orçamentos municipais e estadual, entre outros itens, o credenciam a uma candidatura ao governo do estado em 2018.  
 
Jeová, além de Buba Germano, citou o o nome do também secretário estadual João Azevedo (PSB).
 
Pettronio Torres
25 . Mai . 2017

Certidão do Tribunal de Contas confiram fraude na lista divulgada com codificados da Saúde. Governo vai à Justiça

Em: POLÍTICA
Certidão do Tribunal de Contas confiram fraude na lista divulgada com codificados da Saúde. Governo vai à Justiça

Certidão do Tribunal de Contas confiram fraude na lista divulgada com codificados da Saúde. Governo vai à Justiça

Uma certidão emitida pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, e que foi apresentada durante coletiva de imprensa da secretária de Saúde do Estado, Cláudia Veras, nesta quinta-feira (25), coloca por terra toda especulação girada em torno dos servidores codificados na gestão estadual.
 
A lista correta foi apresentada durante a coletiva, o que atesta que o documento divulgada anteriormente se trata de uma fraude com fins alheios ao bem da coletividade.
 
O procurador Geral do Estado, Gilberto Carneiro, confirmou os dados apresentados pela secretária, corroborados pelo parecer do Tribunal de Contas e anunciou que acionará, criminalmente, todos que explorarem a lista fraudulenta para tentar  causar intranquilidade no seio do Governo, pois pessoas que viram seus nomes acompanhados de valores acrescidos, queriam ir à justiça receber a diferença.
 
Já a secretária de Saúde do Governo do Estado, Claudia Veras, voltou a considerar como “irresponsável” a divulgação da lista dos servidores codificados expostas em sites na última semana, e que tentaram levar para o paraibano uma situação que, segundo ela, não condiz com a realidade.
 
Ela explicou que o número de servidores codificados de 8.587 é correto, mas o valor informado para o pagamento é bem aquém do que foi divulgado.
 
A lista dizia que os codificados haviam recebido R$ 24 milhões em novembro de 2015, quando, na verdade, o número correto seria R$ 15.651.378.89.
 
Conforme a secretária, os dados foram repassados ao Tribunal de Contas do Estado na prestação de contas do ano de 2015 e, para comprovar, ela apresentou ofício e o parecer do Conselheiro André Carlos Torres, atual presidente da Corte de Contas do Estado.
 
Além da lista, a secretária apresentou os valores reais e atualizados de todos os codificados do Estado.
 
 
Além  de Veras e Carneiro, estiveram presentes a coletiva o secretário de Comunicação Luís Tôrres, o secretário Waldson Sousa, e o deputado estadual Tião Gomes, do PSL.
 
 
 
Com pbagora.com.br
 
24 . Mai . 2017

API e Sindicato dos Jornalistas se solidarizam com Judivan Gomes e repudiam atitude de Cartaxo

Em: POLÍTICA
API e Sindicato dos Jornalistas se solidarizam com Judivan Gomes e repudiam atitude de Cartaxo

API e Sindicato dos Jornalistas se solidarizam com Judivan Gomes e repudiam atitude de Cartaxo

O Sindicato dos Jornalistas do Estado da Paraíba e a API (Associação Paraibana de Imprensa) emitiu uma nota nesta quarta-feira (24) repudiando e lamentando a obstrução de acesso por um profissional da imprensa a uma entrevista coletiva. O Sindicato deve investigar o caso e tomar as medidas cabíveis para assegurar o exercício da profissão.
 
Nesta terça-feira (23) o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, proibiu o repórter Judivan Gomes, da Rádio Tabajara, de participar de entrevista coletiva. O secretário de Comunicação de João Pessoa, Josival Pereira, foi o responsável por informar a proibição ao repórter.
 
Luciano Cartaxo manda secretário de Comunicação barrar radialista em entrevista
De acordo com a nota do Sindicato dos Jornalistas, “a prefeitura feriu os preceitos constitucionais da liberdade de expressão, além de desrespeitar a democratização dos meios de comunicação”.
 
A diretoria da entidade representante dos jornalistas na Paraíba ainda ressaltou que “ao impedir a participação de um veículo, a prefeitura transformou a coletiva em um processo seletivo, deixando clara a intenção de escolher qual a mídia de sua preferência”.
 
24 . Mai . 2017

Deputado André Amaral protocola pedido de prisão dos proprietários da JBS na PGR

Em: POLÍTICA
Deputado André Amaral protocola pedido de prisão dos proprietários da JBS na PGR

Deputado André Amaral protocola pedido de prisão dos proprietários da JBS na PGR

Já está na mesa do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, notícia-crime contra Joesley e Wesley Batista apresentada pelo deputado do PMDB André Amaral (PB).
 
Na ação, o deputado diz que os Batistas cometeram crime ao ganhar dinheiro no mercado de câmbio e na venda de ações do grupo antes da desvalorização provocada pelo vazamento da delação.
 
A lei da delação diz que o acordo perde efeito se os colaboradores cometerem novo crime.
 
Com estadao.com.br
 
24 . Mai . 2017

Escorregadio e murista, Cartaxo joga pra executiva nacional do PSD decisão sobre apoio a Temer

Em: POLÍTICA
Escorregadio e murista, Cartaxo joga pra executiva nacional do PSD decisão sobre apoio a Temer

Escorregadio e murista, Cartaxo joga pra executiva nacional do PSD decisão sobre apoio a Temer

Depois de ter ficado em cima do muro no processo de impeachment da presidente Dilma (PT), o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD) voltou a adotar a postura de neutralidade e, mesmo diante da enxurrada de denúncias que colocam sob suspeita a gestão Michel Temer (PMDB), o gestor preferiu não emitir opinião sobre a permanência do apoio ao governo federal.
 
Cartaxo preferiu jogar para o partido, em âmbito nacional, a decisão de continuar ou não na base governista. O que a sigla decidir, ele deverá “seguir o fluxo”. “O PSD nacional é quem decide se fica na base de apoio. Eu não sei como é que o partido em âmbito nacional vai se pronunciar. Eu prefiro não me pronunciar. Eu prefiro ter cautela nesse momento no sentido de que é preciso aprofundar as investigações. É preciso ter cada vez respostas claras por parte da justiça para que tenhamos o momento para sair dessa dificuldade, tanto do ponto de vista da economia, quanto da política, duas crises que uma alimenta a outra”, disse.
 
Sobre as gravações envolvendo Temer e citando, inclusive, o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, que teria recebido da JBS a bagatela de R$ 20 milhões, o prefeito também prefere não opinar sobre o assunto, se atendo a dizer que vai aguardar as investigações em curso. Mas, como se para se ‘eximir’ de uma futura culpa, lembrou que as suspeitas envolvem praticamente todos os partidos, não apenas o PSD
 
“Eu acho que tudo isso que está acontecendo nacionalmente tem que ser cada vez mais investigado. Tem que aprofundar essa investigação. O Brasil está em um momento muito difícil, que envolve praticamente todos os partidos. É fundamental que haja todas as investigações e que a gente possa sair desse momento difícil por que passa o país. O Brasil está paralisado e quem está à frente de municípios importantes como é o caso do município de João Pessoa sofre na pele com a falta de investimento, de planejamento, de liberação de recursso, então na minha visão essa investigação tem que ser agilizada para que haja uma investigação ainda maior e as medidas sejam tomadas pela justiça”, despistou.
 
Mesmo esquivados, o prefeito reconheceu que a situação do presidente Michel Temer é difícil.
 
“A situação de Temer está muito difícil. Estamos torcendo para que as coisas sejam esclarecidas. Não dá para o país ficar sangrando o tempo todo. As pessoas não suportam permanecer nessa situação e se for necessário que se mude a Constituição”, finalizou.
 
O prefeito é um dos nomes cotados pela oposição para disputar o Governo do Estado, em 2014, mas a falta de posicionamentos firmes em relação a temas polêmicos já é visto, nos batidores políticos, como  ponto fraco para alguém que quer comandar todo um estado como a Paraíba. 
 
Com pbagora.com.br
 
23 . Mai . 2017

Maranhão descarta aliança com Luciano Cartaxo em 2018

Em: POLÍTICA
Maranhão descarta aliança com Luciano Cartaxo em 2018

Maranhão descarta aliança com Luciano Cartaxo em 2018

O senador José Maranhão (PMDB), que vinha defendendo a união das oposições e assegurando a manutenção da aliança do PMDB com o PSD do prefeito Luciano Cartaxo, recuou, nesta terça-feira (23), e disse que a formalização das alianças para as eleições estaduais de 2018 dependerá do que “acontecerá mais à frente”.
 
“Quando você tem uma aliança, o deve é manter a alainça, mas o que vai aconetecer na época de formatação das alianças dependerá do que acontecerá no momento à frente. Não falo sobre hipóteses”, afirmou.
 
As declarações de Maranhão foram feitas durante entrevista ao programa Correio Debate, da 98 FM de João Pessoa.  
 
Com wscom.com.br
23 . Mai . 2017

Presidente da Tabajara diz que emissora foi cerceada pelo prefeito Cartaxo

Em: POLÍTICA
Presidente da Tabajara diz que emissora foi cerceada pelo prefeito Cartaxo

Presidente da Tabajara diz que emissora foi cerceada pelo prefeito Cartaxo

“O prefeito Luciano Cartaxo (PSD) cerceou o direito de imprensa de um jornalista. Nós, da rádio Tabajara, lamentamos o fato e reiteramos que nossa produção sofre, ninguém da Prefeitura nos dá entrevista e Cartaxo nunca veio aqui apesar dos inúmeros convites”. Essa foi a afirmação da superintendente da Rádio Tabajara, Duda Santos, que participou de um programa de rádio da Capital para falar sobre o caso.
 
Na ocasião, Duda ressaltou que o jornalista Judivan Gomes é um profissional ético, compareceu ao evento para fazer seu trabalho e não tem porque ele ser barrado. “A rádio Tabajara é um patrimônio público do povo da Paraíba e tem obrigação de divulgar as ações que interessam ao Estado”, disse.
 
O secretário de Comunicação da Prefeitura de João Pessoa, Josival Pereira, barrou o jornalista Judivan Gomes de participar de uma entrevista coletiva com o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) nesta terça-feira (23). A conversa dos dois foi registrada em áudio e foi ao ar em um programa de rádio da Capital. “Qualquer pessoa tem o direito de escolher a quem concede entrevista”. ‘Você não vai entrar na sala’. Essas são duas das frases que o secretário disse ao jornalista. Por sua vez, o jornalista Judivan Gomes rebateu o secretário afirmando que o prefeito tem o direito de não responder à sua sua pergunta, mas ele tem o direito de perguntar. Assim é uma ditadura”, resumiu.